>> Secretaria de Educação de Dom Aquino esclarece matéria tendenciosa de site de notícias


Primeiramente, a Secretaria Municipal de Educação, Esporte & Lazer esclarece que: A carga horária do professor que atua na rede municipal de Dom Aquino é de 25 horas semanais e que é necessário fazer as devidas proporções, que seguem:

Hoje o Piso Nacional para nível médio é de R$ 2.455,00, para 40 horas semanais. Logo, para 25 horas deve ser de R$ 1.534,37.

No nível superior, proporcionalmente em 25 horas, o valor deve ser de R$ 2.301,56, diferentemente dos valores publicados.

Foi publicado, também, que há quatro anos não era concedido reajuste, o que também não é real. Em 2014 foi concedido 14% aos professores, 2015 concedido 13% e agora em 2018, no mês de Março, foi concedido um reajuste de 11,98% devidamente aprovado pela Câmara Municipal.

Ainda não atingiremos o Piso Nacional, mas estamos caminhando para isso.

Em março/2018, o valor do salário dos professores de nível superior, será de R$ 1.666,51, uma defasagem de 27,6% em relação ao Piso Nacional, porém essa mesma defasagem era de 44%. Não é o ideal, temos muito a crescer, mas estamos no caminho desse crescimento.

Outrossim, é importante salientar que, como é do conhecimento do Sindicato, existe uma comissão municipal formada para estudo e propostas para o Poder Executivo e que por diversas vezes aconteceram reuniões, devidamente registradas em atas para tratar destes assuntos tão importantes e que preocupam o Governo Municipal.

Ainda, existe a solicitação de estudo de impacto financeiro para um novo reajuste de 6,81% aos professores, o que vai aproximar ainda mais do Piso Nacional, o qual somente poderá ser feito após o mês de Março, quando passa a valer o reajuste anterior.

Lembramos que essa situação não ocorre somente em nosso município, mas na maioria dos municípios brasileiros, os quais infelizmente não possuem capacidade financeira para cumprir com o Piso.

Ainda, o Poder Executivo nunca se negou em receber a comissão, sempre tem buscado conceder os reajustes que os servidores tem direito, todavia, é muito difícil resolver uma situação que vinha se arrastando por várias administrações anteriores.

Entre os anos de 2009 a 2012, foram concedidos 13% de reajuste aos professores.

Nesta administração, entre os anos de 2014 a 2018, somam-se 38,98% de reajustes salariais já aprovados.

É importante salientar que greve legal deve acontecer quando todas as possibilidades de negociação estão esgotadas, não é o caso em nosso município. Ainda, o Poder Executivo está à disposição para outras informações que se apresentem como necessárias.

SEGUE ABAIXO A MATÉRIA NA ÍNTEGRA:

Os professores da Rede Municipal de Dom Aquino poderão entrar em greve nas próximas semanas. A categoria denuncia que os salários não recebem reajuste há quatro anos. 

Sem reajuste há quatro anos, os professores da rede municipal acumulam perda de cerca de mais de um quarto do poder de compra de seus salários. A inflação acumulada desde o último reajuste da categoria passa dos 30%, segundo o INPC-geral calculado pela IBGE. De acordo com a diretora regional do SINTEP/MT - Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso, Doralice Vieira de Castro, a categoria deverá se reunir nas próximas semanas para debater sobre a possibilidade de greve. “Vamos fazer uma Assembleia para tirar encaminhamentos e provavelmente terá greve”, informa.

Para o vereador, Luciano Claudio (PSB), de Dom Aquino, a situação é urgente. Segundo ele, atualmente o piso salarial dos professores da Rede Municipal é de R$ 2200. Se todos os reajustes fossem efetivados, o salário deveria ter o piso de R$ 4200. “Essa situação dos professores em Dom Aquino está ficando insustentável. Corremos o risco de greve e, com isso, muitas mães e pais não tem onde deixar seus filhos para ir trabalhar. Fora o prejuízo que essas crianças terão ao ficar sem aulas”, alerta o vereador.

O problema em Jaciara não está muito diferente, embora, haja mais possibilidades de diálogo. “Em Jaciara, nos últimos anos nós só recebemos o reajuste do Piso. O prefeito, Abdo Mohammad, na época da campanha nos garantiu que iria equiparar o Piso da Rede Municipal ao Piso Nacional, mas ainda não o fez. Entretanto, aguardando uma audiência com ele para ver como será feita essa equiparação e em quantas parcelas”, explica Doralice.

Salários defasados em geral

Enquanto o salário dos professores permanece congelado, o custo de vida não para de aumentar. Segundo o DIEESE, que calcula o salário mínimo necessário pelo aumento do custo de vida, esse deveria ser de R$ R$ 3.727,19, para o mês de junho de 2017.

O professor de sociologia, Lindomar Wessler Boneti, da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), acredita que o aumento real do salários dos professores é um problema estratégico em todo o Brasil e isso ocorre há muitos anos em função do modelo de desenvolvimento econômico brasileiro. “O país passou por uma fase de liberalismo econômico e optou-se por investir em outros setores, como a indústria e o comércio, em detrimento da educação”, critica. Ele afirma que nas últimas décadas houve uma estagnação e que, apesar dos avanços, o setor ainda não é considerado estratégico. “Tradicionalmente a educação é pouco valorizada pelo poder público”, lamenta.

FONTE / Clinton Davisson - O DIÁRIO DE MATO GROSSO

Publicado em 14/03/2018

Fonte: Telma Bogucheski - Secretária Municipal de Educação

2017 © Portal Oficial da Prefeitura Municipal de Dom Aquino - Mato Grosso - CEP: 78830-000